sexta-feira, 28 de maio de 2010

A Naifa



Não há nada melhor como ir a um concerto para quebrar a rotina da semana e para nos animar um pouco. Ainda mais quando vamos ouvir um grupo fantástico como os "Naifa", que possuem uma presença ímpar, com um espectáculo onde transborda todo um sentimento de melancolia saudável. Conjugando o fado, com a musica tradicional portuguesa e música pop, os Naifa tornam-se, na minha opinião, na banda portuguesa mais inovadora que enaltece os poetas portugueses e a música portuguesa.
Depois de um ano de luto, A Naifa volta à luta. A imagem do João Aguardela mantém-se bem presente e marcada, tornando-se assim, num espectáculo ainda mais cheio de emoções.
Resumindo, foi um concerto extraordinário, onde música desta qualidade não se escuta todos os dias…

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Lágrimas Ocultas



Se me ponho a cismar em outras eras
Em que ri e cantei, em que era querida,
Parece-me que foi noutras esferas,
Parece-me que foi numa outra vida ...

E a minha triste boca dolorida,
Que dantes tinha o rir das primaveras,
Esbate as linhas graves e severas
E cai num abandono de esquecida!

E fico, pensativa, olhando o vago ...
Toma a brandura plácida dum lago
O meu rosto de monja de marfim ...

E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!

Florbela Espanca, in "Livro de Mágoas"

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Já lá vão 30 anos

Foi há 30 anos que desapareceu, na minha opinião, um dos maiores músicos de sempre - Ian Curtis, vocalista dos Joy Division.

Foi naquele fatidico dia, 18 de maio de 1980, que Ian Curtis se enforcou na sua cozinha, desaparecendo, para sempre, pelo menos fisicamente. Sim, fisicamente, pois o seu nome, a sua música, e todo o seu legado, perpetua ainda hoje, e influencia determinantemente a maior parte das bandas de hoje em dia, desde os Interpol aos Bloc Party, passando pelos Editors, Mount Sims ou The National, que incorporam claras influências do grupo nascido em Manchester no final dos anos 70.

Curtis inicialmente fundou os "Warsaw", que em seguida passou a chamar-se "Joy Division", a primeira banda do movimento que seria conhecido como pós-punk e tornou-se assim, um mito!
Após o seu desparecimento, os 3 elementos remanescentes formaram os "New Order", pois antes da morte de Ian Curtis, os elementos da banda tinham feito um pacto: caso alguém saísse, os restantes membros mudavam o nome do projecto e assim nasceu os "New Order".