quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Lomografia-Parte I

Pois é, isto da lomografia ao inicio, é mais complicado do que parece! Mas isto é mesmo assim, a praticar é que conseguimos atingir a perfeição!
Depois de uma sessão nocturna, por Coimbra, já lá vai 1 filme de 120 e o resultado final são 3 fotos! Que gargalhada!!
O resultado não estava mal de todo, afinal são 3 fotos originais (não são João?), mas acho que consigo melhor! Havia sempre qualquer coisa que falhava, ou era a abertura que estava errada, ou esquecia-me de rodar o rolo, ou então a luz não era suficiente, etc...etc...
Para já, o pinhole fica para mais tarde e quando tiver um tripé! Ah, e treinar o pinhole de dia!
Mas tudo isto foi uma aprendizagem, e tenho a certeza que a próxima vez será melhor! Agora tenho 1 filme a preto e branco, para ver como fica o efeito! Fantástico, concerteza!
A outra aventura foi a revelação do filme. Fnac em Coimbra nem pensar! Descobri uma loja fujifilm em Celas (perto do HP), que poderá ser designada como uma verdadeira "Photo Professional Lab" tal como nos é recomendado nos manuais de instrução e que me revelou o filme em 20 min. Espectacular!! E a simpatia do pessoal ainda melhor. Recomendadíssimo!!
Foi sem dúvida uma aventura e tenho a certeza que mais virão!!

domingo, 26 de setembro de 2010

Lomografia

Ultimamente tenho-me debruçado sobre o tema Lomografia. Fiquei curiosa sobre o tema e andei a pesquisar tudo o que havia sobre este assunto, até que fiquei mesmo com o "bichinho".
Lomo é a sigla de Leningradskoye Optiko Mechanichesckoye Obyedineni que traduzido do russo significa União de Óptica Mecânica de Leningrado, uma empresa fabricante de equipamentos ópticos na Rússia.
A Lomo é uma máquina fotográfica compacta e analógica que surgiu em 1982 durante a Guerra Fria. A União Soviética tinha interesse político na época de divulgar o estilo de vida das famílias e, para isso, criaram uma máquina leve e fácil de usar, e distribuiram-na por todas as casas e famílias que deveriam fotografar o seu dia-a-dia.
A “Lomomania” propriamente dita começa em Praga em 1991, quando dois jovens vienenses, de férias na capital da República Checa, descobriram a máquina Lomo. Começaram então a fotografar tudo, muitas vezes sem sequer olhar através da objectiva. De regresso a casa, o fascínio dos dois fotógrafos pela cor, a luz e a qualidade das imagens (focadas ou desfocadas) foi tão contagioso que rapidamente a moda das Lomos se espalhou.
O estilo fotográfico ganhou enorme sucesso por causa das suas imagens impressionantes.
O que mais me cativa nas fotos são as cores supersaturadas, os efeitos, como as sobreposições e a espontaneidade.

Para os lomógrafos existem dez regras básicas:

1. Leva a tua Lomo onde quer que vás.
2. Usa-a a qualquer hora do dia ou da noite.
3. A Lomografia não interfere na tua vida, faz parte dela.
4. Fotografe sem olhar no visor.
5. Aproxima-te o máximo possível do objecto a fotografar.
6. Não penses...lomografa.
7. Sê rápido.
8. Não precisas de saber antecipadamente o que fotografaste.
9. Nem depois.
10. Não te preocupes com quaiquer regras.


Depois de tudo isto, ontem resolvi ir à embaixada lomografíca em Lisboa e comprei a minha Diana F+!!!



Pus-me logo a fotografar na baixa de Lisboa, e a colocar os meus dotes lomográficos em prática. Por isso, já é oficial, faço parte da Lomomania. Agora, é só lomografar...
Em breve, mostrarei o resultado dos meus ensaios...

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Férias na Sicília


Algures a meio do mediterrâneo está a Sicília, a sua maior ilha e que posso confirmar que é mesmo enorme.
As férias passadas na Sicília foram maravilhosas. A ilha revelou-se ser encantadora e mágica.
A maior parte dos dias foram passados em Milazzo, terra natal dos nossos amici, António, Simone e Alessio, que nos acolheram de uma forma muito calorosa, especial e única.
Milazzo é uma cidade pequena e com pouco turismo mas com muitos encantos, como por exemplo o mar. É fabulástico!! Tem uma cor tão translúcida, que nunca vi igual e a temperatura é muito agradável. Fantástico!


Nos primeiros dias, explorámos Milazzo e a sua fortaleza. Visitámos também o Capo Milazzo e a sua fantástica piscina natural. Que maravilha!
Nos dias seguintes foi sempre a passear pela ilha. Visitámos as Ilhas Eólias que são um arquipélago de origem vulcânica e o seu nome é atribuído ao deus do vento Aeolus. Fomos à ilha Panarea, Lipari e Stromboli. Este último é o mais activo vulcão europeu. As suas erupções acontecem com um intervalo médio de uma hora. A actividade "ordinária" do Stromboli consiste em explosões de média energia, que duram de poucos segundos a dez/vinte minutos. E nós fomos umas afortunadas, pois assistimos a sete destas explosões. Foram momentos inesquecíveis!
Fomos também visitar Cefalú, Tindari, o Monte Etna e Taormina. Taormina revelou-se ser uma vila muito bonita com um anfiteatro espectacular e com uma vista incrível!


As noites na Sicília também foram mágicas. Uma das noites tivémos uma festa na praia, com um ambiente fabuloso! Fogueira, Dj e bar aberto! Foi incrível tomar banho às 4h da manhã. Jamais vou esquecer esta noite.
Outra das noites mágicas foi quando fomos jantar a uma vila muito bonita e pitoresca, Castelmola, ao Bar Tirrisi. Jantámos no terraço com vista para o Etna e para o mar mediterrâneo. Fantástico!
A Sicília foi uma ilha extraordinário com belas paisagens, belas pessoas e bela comida. Claro que não me posso esquecer da Granita, que é uma espécie de raspadinha de gelo com vários sabores. Quando o calor apertava, e acreditem que apertava mesmo, nada melhor que uma vera granita siciliana, preferencialmente de limão. Tornou-se a nossa salvação nos dias mais tórridos.


Resumindo, estas férias foram inesquecíveis, por todos os motivos que já referi mas principalmente pela companhia dos nossos amigos António, Alessio e Simone, que foram extraordinários. Uns verdadeiros princípes! Grazie mille ragazzi e até breve, espero!