quarta-feira, 30 de março de 2011

Viena-Bratislava-Budapeste

E assim foi mais uma viagem de mochila às costas com direito a comboio e tudo! Lá fomos nós, 4 raparigas à procura de aventura pela Europa!


A viagem começou em Budapeste onde apanhámos o comboio, na estação de Keleti, para Viena, que durou 3 horas bem passadas a jogar Bismark.
Budapeste nesta altura pareceu-nos cinzenta e suja e a ansiedade para chegar a Viena era mais que muita.

Chegámos a Viena à estação Wien Meidling por volta das 20h e aí estivémos um pouco à nora para apanharmos o metro para a pousada, mas como boas portuguesas que somos lá nos desenrascámos. Saímos em Kettenbruckengasse, no Nashmarkt e demos logo com a pousada "Wombats City Hostel". Espectacular! Recomendo totalmente. Foi uma bela surpresa.

Foram 3 dias a passear em Viena, que revelou-se ser uma cidade majestosa e imperial, com todos os seus palácios e palacetes. A cidade respira música e história e é bastante limpa e civilizada.

Passámos um bocado de frio mas nada nos impediu de correr Viena de cima a baixo. Visitámos alguns museus e palácios. Claro que não conseguimos ver tudo, mas para mim há que realçar a Stephansdam e o Belvedere onde pude ver e admirar o famoso quadro de Klimt "O Beijo".



Assistimos também a um concerto de música clássica que também foi interessante e que melhor que tudo - não tinha dress code!!

De resto foi passear pela cidade e contemplar a sua forma de vida. Percebemos que a vida aqui não é propriamente barata, por isso lá se foram alguns euros a mais!
Terminada a visita a Viena estava na hora de pegar novamente nas mochilas e apanhar o comboio para Bratislava, capital da Eslováquia.



Dirigimo-nos à estção de Wien Sudbanhof e por meros minutos perdemos o comboio das 19h. Que chatice! Tivémos que secar durante 1h pelo próximo comboio, mas a chatice maior foi que a compra dos bilhetes era feita apenas nas máquinas automáticas, que tivémos alguma dificuldade em decifrar. Depois de muito perscrutármos a máquina, percebemos que não existem bilhetes de apenas ida para bratislava, só existem bilhetes de ida e volta e foi o que acabámos por comprar. Balcão de Informações nesta estação não existe!!!!

Viagem de comboio Viena-Bratislava foi durante 1h. Chegámos à capital eslovaca às 21h. Apanhámos facilmente o autocarro para a pousada e as pessoas revelaram-se muito simpáticas e prestáveis. A primeira impressão da cidade foi bastante positiva e manteve-se assim o resto da viagem.

Bratislava é uma cidade pequena mas que possui o seu encanto. Passeámos relaxadamente pela cidade, a contemplar a sua arquitectura e modo de vida.


O sol sempre acompanhar-nos, mas bom bom foi a sopa que comémos num restaurante tipicamente eslovaco. Foi maravilhoso, porque não era uma sopa qualquer. Era uma sopa de alho com queijo servida num pão! Extraordinário!

Terminámos de ver a cidade em meio dia e então o próximo passo foi pegar nas mochilas e rumar a Budapeste. Só que desta vez fizémos mal a pesquisa e fomos a correr desenfriadas para a Estação Petrzalka, a estação onde chegámos de Viena. Mas não era aqui que se apanhava o comboio para Budapeste. Então, tivémos que apanhar o autocarro de volta para a cidade, para a Estação Hlavaná, que ficava a meros passos da pousada onde estávamos. Inacreditável!!

Tivémos que esperar umas horitas pelo próximo comboio, mas a nossa preocupação maior era a hora de chegada a Budapeste que seria às 23h o que não é nada aconselhável, segundo os guias. Bem, não há-de ser nada! E não foi mesmo nada! Inclusivamente, cometemos uma infracção, porque apanhámos o metro até Blaha Luiza Square sem bilhete! Tivémos uma sorte, porque mais tarde descobrimos que revisores são o que abundam mais em Budapeste! Não é meninas??
Bem, Budapeste revelou-se uma cidade enorme, uma verdadeira metrópole. Foi uma agradável surpresa!
Passeámos por toda a cidade. Optámos por começar por Peste, que é a parte mais urbana e comercial, onde se concentram a maioria dos pontos turísticos. A destacar a Igreja de Sto. Estêvão, que é magnânime e o Parlamento, nas margens do Danúbio!



Em Buda visitámos o Castelo ou Palácio Real (é a mesma coisa) e passámos horas no Bastião dos Pescadores a contemplar a maravilhosa paisagem!
Esse dia foi finalizado com um banho termal divinal nas Termas de Szechenyi, onde permanecemos 3 horas seguidas dentro de água! Recomendo totalmente!

Mas no meio de toda a beleza da cidade pudemos constatar que existem muitos esquemas para extorquir dinheiro às pessoas e nós fomos alvo de uma tentativa. Por isso aqui vai uma dica, piquem sempre os bilhetes, quer seja no metro, autocarro ou eléctrico, porque existem revisores falsos que topam logo e que tentam de tudo para nos enganar. Ah, e não acreditem em revisores que não estejam fardados! São falsos!!!
Mas no final tudo acabou bem, são e salvo!
Foi uma viagem cheia de aventuras e acontecimentos. E como sempre a Europa e as suas cidades conseguem-me surpreender sempre pela positiva!

segunda-feira, 14 de março de 2011

País à Rasca


O país está à RASCA!! Sabemos todos que isto não é só de agora, é já de há algum tempo, mas o que acontece é que já não aguentamos mais esta injustiça social em que vivemos. O povo está a chegar ao seu limite e foi por isso que no passado sábado, dia 12 de Março, se uniu todo e veio para as ruas manifestar-se, aproveitando o proteso da Geração à Rasca.
A brincar a brincar, o proteso juntou cerca de 300 mil pessoas na rua.



Foram novos e velhos, famílias inteiras e crianças que participaram na marcha. Todos apelaram aos seus direitos, por melhores condições de trabalho e reclararam pelo seu futuro.
Desta vez, não houve partidos, nem entidades politicas na organização, apenas o POVO! Um verdadeiro exemplo de solidariedade nacional e patriótica.
Aqui em Coimbra, a manifestação foi morna. a praça da República estava um pouco despida, pois ao que parece a maioria das pessoas deslocaram-se até à capital para protestarem.
O país tem estado apático e entorpecido mas parece que está acordar e que já começa a dar sinais do seu mal-estar. 1º foi a eleição da musica "Lutar é Alegria" dos Homens da Luta para o Festival da Eurovisão e depois esta mega manifestação...
O país está acordar e não vamos deixar que nos continuem a pisar e a maltratar. Já existem promessas de novas manifestações. Por isso, cuidem-se governantes...

quinta-feira, 3 de março de 2011

Just Another Ordinary Day



Hoje foi mais um dia ordinário em Coimbra.
Um dia entre muitos dias da vida e que foi passado a passear pela cidade, a conversar, a trocar ideias, pontos de vista.
Também a fotografar, a observar pessoas, estilos, comportamentos, e energias(?)...
Basicamente, foi viver!
Tudo isto podemos fazer numa dia qualquer e ordinário da nossa vida, mas dependendo de como o vemos e vivemos, ele pode até se transformar num dia extraordinário.