domingo, 28 de agosto de 2011

Algarve...soube a pouco

Todas as profissões têm coisas boas e coisas más. Existem muitas coisas na minha profissão que não gosto (mesmo), mas uma das coisas que gosto, são os horários, isto é, o "roulement". Pois permite-nos, por exemplo, juntarmos algumas folgas, de forma a ficármos uns dias sem trabalhar, o que é espectacular! E foi assim que consegui juntar 5 folgas e ir até o algarve ter com os meus pais. O que foi maravilhoso!
Já soube um pouco a férias, já que férias só em outubro, pois todos estes meses de verão, passei-os a trabalhar. Enfim...opções!
Foram 5 dias espectaculares na Praia da Oura, com bom tempo, de "papo para o ar" sem fazer nada, na bela companhia dos papás. Serviram para relaxar e abstrair-me um pouco do dia-a-dia, aqui por Coimbra. Foram uns diazinhos muito bons, apanhar sol e a dar uns belos mergulhos naquele mar magnifico de águas transparentes!

Claro que soube a pouco mas já foi muito bom!
Na vinda para cima, fizemos um desvio até à Barragem do Alqueva, que possui aquela paisagem inigualável. Visitámos a imponente obra de engenharia, que ali pacientemente estanca as águas do Guadiana, para que os terrenos tenham alguma água.

Fizémos também uma breve paragem na Aldeia da Luz, a aldeia que quanto a mim, se parece a uma aldeia fantasma, onde não se vê vivalma e que apesar de nova é uma aldeia desprovida de identidade. Pelo menos, é o que me parece.

E claro, paragem obrigatória em Monsaraz, bela vila medieval que não me canso de visitar, pois ainda em maio lá estive. Não me canso de olhar para toda aquela paisagem em redor que tanto me seduz.


Assim foi esta semana, que serviu para me reabastecer de novas energias para mais um mês de trabalho antes das férias.

domingo, 7 de agosto de 2011

Saudade



"...Saudade é amar um passado que ainda não passou,
É recusar um presente que nos machuca,
É não ver o futuro que nos convida...

Saudade é sentir que existe o que não existe mais..."

Pablo Neruda

sábado, 6 de agosto de 2011

Andanças 2011


Depois de regressar do 16º festival internacional de danças populares, que me deixou completamente exausta, ficam as saudades de todo aquele ambiente vivido e do que mais se fez por lá – Dançar!
O Andanças é um festival que promove a música e a dança popular.
Lá revivemos as danças e a música tradicional, aprendemos vários estilos de dança diferentes. Eu tentei aprender tudo de um pouco, no entanto é muito dificil conseguir ir a tudo, tal é a quantidade de actividades.
Participei nas danças castelhanas, valencianas, europeias (que foram maravilhosas), ranchos (variados), danças populares portuguesas de roda, danças orientais, escocesas, danças tribais africanas (que me deixaram rota!). Foi tudo espectacular!
Era de manhã cedo até altas horas da noite, sempre a dançar e a viver intensamente tudo o que conseguia.
Havia workshops de tudo, até de massagem, para relaxar o corpo e que bem que me soube! Tentei também um pouco de malabarismo, mas percebi que aquilo não é para mim.
O festival é caracterizado por ter gente de todo o lado. São adultos e crianças a correr alegremente por todo o recinto. Parece uma Aldeia Global.
A energia e o ambiente que se vive ali pode-se dizer que é único! Digamos que é um ambiente de partilha e de muito boa energia.
A realçar são as condições que nos são proporcionadas, quer no campismo quer em todo o espaço, e que só são possíveis graças aos muitos voluntários que nele participam.
O festival é marcado por atitudes de sustentabilidade como a utilização pessoal de uma caneca e por variadas atitudes de consciência ambiental como a simples separação do lixo e o desperdício zero! E a verdade é que quando queremos conseguimos mesmo fazer a difernça!
Foi sem dúvida um festival muito exaustivo mas ao mesmo tempo muito revigorante! Obrigadas amigas pela vossa companhia. Venha o próximo…